quarta-feira, 12 de abril de 2017

Resenha: A viúva - Fiona Barton

Título:  A viúva
Autora:  Fiona Barton
Páginas: 304 (Editora Intrínseca) 
Ano: 2017
Adaptação em filme: (X) Não 
Tempo de leitura: 3 semanas (intercalando com outro livro)
Mais informações sobre o livro: A viúva

O que poderia uma viúva revelar sobre seu marido após a trágica morte dele? Glen foi acusado de pedofilia e sequestro de uma garotinha de dois anos, a pequena Bella. Ela, Jean, submissa ao marido, acata as ordens dele e aceita quando ele nega tudo. Ela persiste firme ao lado dele defendendo-o.

O marido morreu e os repórteres não deixam a porta da residência de Jean. Ela agora gosta da atenção. Antes o marido ordenava que não desse entrevistas e ficasse calada. A repórter parece tão interessada na vida e na amizade de Jean. 

Entre as investigações e elucubrações de Jean um mistério se revela levando o leitor a buscar o fim da saga de Bella. O detetive Sparkes faz do caso sua vida, a repórter Kate que se passa por amiga de todas as partes em busca de informações e mais uma capa. A viúva que só queria ser mãe. O marido que vê no computador o tesouro da sua vida.

Uma obra instigante, bem escrita, com narrativas intercaladas entre a viúva, a repórter, e outros personagens, vão dando um panorama dia a dia dos acontecimentos a partir do desaparecimento de Bella e levam o leitor a desconfiar de todos os personagens. O espectador fica ávido por informações a fim de desvendar o real autor do sumiço de Bella.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

No seu olhar - Nicholas Sparks

Título: No seu olhar
Autor: Nicholas Sparks
Páginas: 432 (Editora Arqueiro) 
Ano: 2016
Adaptação em filme: (X) Não 
Tempo de leitura: 2 semanas
Mais informações sobre o livro: No seu olhar

Uma das mais recentes obras de Nicholas Sparks traz não apenas seus conhecidos romances como também muito suspense.  

O livro "No seu olhar" apresenta a história de Maria, advogada que não tem um relacionamento sério há tempos. Até que conhece Colin na beira da estrada, quando ele para e se oferece para trocar o pneu do carro dela. A aparência dele lhe causa temor, já que o rosto dele tinha muitos hematomas e seu corpo apresentava muitas tatuagens.

Coincidência ou não, Serena, irmã de Maria, estuda com Colin e provoca um encontro por acaso entre os dois. Apesar da aparência, Colin é um homem sincero que conquista Maria por sua honestidade, apesar de seu passado conturbado por brigas e intrigas.

Colin controla seu temperamento até certo ponto. Quando Maria se vê recebendo presentes inusitados e ameaçadores, Colin pode reviver seu passado e trazer à tona sua faceta não tão cordial. 

Um belo suspense, onde Sparks apresenta o previsível e o não tão previsível. O romance já não se mostra tão meloso como outrora. Sparks está mudando o foco de suas obras, o que atrai um número maior de leitores, que antes eram avessos a tanto romance e tragédia.

Esse é o livro que será discutido no Niclub (clube do Nicholas Sparks) em Florianópolis em 7/4/2017 em local ainda a ser definido.

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

A mulher de trinta anos - Honoré de Balzac



Título: A mulher de trinta anos
Páginas: 224 (Editora L&PM Pocket)
Ano: edição 2001
Adaptação em filme: (X) Não
Tempo de leitura: 4 dias
Mais informações sobre o livro: A mulher de 30 anos

Às vésperas de fazer 31 anos, preciso falar de "A mulher de 30 anos".

Interessantíssimo o livro. Pode-se dizer que é a obra mais conhecida de Honoré de Balzac. Foi escrito em 1832, mas engraçado como pode ainda ser atual. O título, unido ao sobrenome do autor, deu origem à expressão "mulher balzaquiana", aquela mulher que chega aos 30 anos de idade, supostamente idade em que se reinventa, se descobre, se estabelece, amadurece. Sim, cheguei aos 30 e ganhei o livro de presente.

É a história de Julie, jovem e bela que se vê apaixonada por um soldado, deseja imensamente desposá-lo, mesmo contra as orientações do pai. Um ano depois Julie se apresenta como uma mulher arrependida, relata o sofrimento psíquico que vive com um homem que se mostra frio, indiferente ao casamento, totalmente alheio às expectativas dela.

Vivendo um casamento enfadonho ela conhece um jovem que lhe atrai não só olhar como a mente, e que parece compreendê-la bem melhor que o marido. Até mesmo a presença da filha no mesmo ambiente não impede Julie do flerte. Mas nem aí Julie parecer ter sorte no amor.

Não posso contar mais para não ser spoiler, mas digo que Julie viveu amargamente um casamento falido, sonhou com um amante impossível, criou filhos que se perderam, se afundou na tristeza de ver a família se desfazer e de não se sentir completa na vida. O auge dela seria os 30 anos, onde já compreendia bem a vida.

Por vezes a trama se mostra confusa, porquanto se tratam de diversos fragmentos da história, publicados em folhetins e que depois foram reunidos dando origem à obra. A vida inteira de Julie é descrita no livro, desde sua intenção de casar, até quando uma de suas filhas decide ter o mesmo destino de casar-se. 

É um livro denso de ser lido, a leitura trava em certos momentos, é preciso estar atento aos nomes dos personsagens, cenários e tempos para não se perder. Personagens secundários ganham destaque.
A edição de bolso facilita levá-lo para qualquer canto.

Algumas frases pontuais do livros são tão verdadeiras e cheias de conteúdo e sentido, que precisavam ser reproduzidas aqui.

sábado, 24 de setembro de 2016

Adega literária

Ficou pronta a adega literária!!
Vamos incentivar a leitura!!
Obrigada pai e mãe que doaram a adega estragada! 
Obrigada ao meu super mega marido Vinicius Ronaldo de Souza que adesivou perfeitamente do jeito que eu queria!
Obrigada às amigas Ângela Paula Taffarel Souto Mayor, Franciele Barth e tia Dircy Neubarth que doaram os livros para acrescentar aos meus!
Agora só falta achar um lugar público para colocar a adega!! 
#leiamais 
#bonslivros 
#adegaliteraria 
#euamolivros


quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Cartas para você - Duda Razzera

Título: Cartas para você
Autor: Duda Razzera
Páginas: 2016 (Editora Novo Século) 
Ano: 2014
Adaptação em filme: (X) Não 
Tempo de leitura: 3 dias
Mais informações sobre o livro: Cartas para você

Sofrimento colocado em palavras como forma de obter a aceitação da morte de um pai. Trata-se da história da própria autora, escritora catarinense, mas com o nome da personagem alterado para Georgia. Após perder o pai, seu grande amigo e conselheiro, ela se viu sem chão, sem rumo, sem vontade de continuar. Remédios, acompanhamento psicológico e apoio da mãe e irmã não foram suficientes para aliviar a dor. Superação e aceitação para ela têm conceitos diferentes para Georgia, então enquanto a aceitação não vem, ela escrever cartas buscando alcançá-la. 

Todo capítulo começa "Querida aceitação". Assim Georgia segue narrando sua trajetória de vida, um breve histórico antes da morte do pai e se estende pela montanha-russa que se tornou sua vida depois da perda de seu coaching, como ela costumava chamar. 

Amores e disamores são citados, trabalhos e desavenças na família são dissecados nas memórias lançadas nas páginas em forma de cartas. Enquanto a aceitação não vem, o papel recebe as dores de uma filha órfã de pai, que se vê num mundo sem brilho, mas que precisa buscar outras inspirações para continuar.

Ela fala do vazio que o pai deixou, lembra das coisas boas que viveu com ele, como ele era o elo da família de quatro pessoas. Agora ela busca em outros relacionamentos suprir a falta, mas que a mãe e a irmã são diferentes, a família do pai vive em pé de guerra, passou a perna no pai de Georgia, a família da mãe é distante. Todos os rapazes que aparecem, seja na faculdade, no círculo de amizade ou na internet, não parecem preenchê-la por inteiro.

São as memórias e anseios da autora, sobre isso não posso falar, mas posso dizer que o livro é muito bem escrito, flui, mas por vezes fica repetitivo. A própria autora confessa que as cartas têm os sentimentos de perda e solidão muito enfatizados e repetidos, mas são os sentimentos que ela tinha no momento. É um livro de alguém passando pelo luto, então as palavras não são alegres.

Gostaria de ver mais a continuidade da vida de Georgia, os pequenos e grandes dilemas da vida. A saudade sempre vai existir, as boas memórias também, mas de fato a vida continua e a saudade precisa ficar no cantinho da orelha para não atrapalhar a visão do resto da vida, que pode-se dizer, é boa, muito boa, apesar da dor de quem fica.

(Essa resenha foi escrita há meses e aguardava para ser publicada, mas agora parece que o sentimento que vivo exige que seja essa semana)

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

segunda-feira, 25 de julho de 2016

25 de julho - Dia do escritor: "Para ler como um escritor" - Francise Prose

Aproveitando esse dia especial...
Vamos falar de um livro que nos mostra como pensa e age um escritor. 

Título: Para ler como um escritor
Autor: Francise Prose
Páginas: 320 (Editora Zahar) 
Ano: 2008
Tempo de leitura: 8 meses (porque demorei pegar o fio da meada e intercalei com outros)
Mais informações sobre o livro: Clique aqui

Um livro diferente. Não é literatura. É uma obra para se ter como base para quem quer ser escritor. Mostra como ler outros livros com olhos de escritor e observar quais nuances atraem o leitor e devem ser usadas por um escritor.

Excelente livro, apesar de complexo. É preciso foco e atenção para não perder o fio da meada, pois a autora traz inúmeros exemplos da literatura clássica inglesa e até russa, falando dos escritores gênios do passado e como eles cativam leitores até hoje em virtude, principalmente, da boa escrita.

O livro é dividido em capítulos que facilitam a análise de um livro de literatura, um romance, pois destrincha a trama. São eles:

- leitura atenta;
- palavras;
- frase;
- parágrafos;
- narração;
- personagem;
- diálogo;
- detalhes;
- gesto;
- aprender com Tchekhov;
- ler em busca de coragem.

Cada detalhe que eu nunca prestei atenção ou nunca tinha observado. Certamente muda a escrita dos autores. Livro de cabeceira para escritores. Quero ler mais obras desse gênero.

Ao final do livro há um capítulo adicional na edição brasileira, redigido por um autor brasileiro, para dar suporte aos autores brasileiros, já que o livro é estrangeiro, e ele usa o mesmo estilo de Francine para tratar de obras clássicas brasileiras (mas confesso que a autora Francine me cativou mais). 

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Uma geração marcada por Pedro Bandeira


Quem nasceu entre 1980 e 2000 conhece o nome Pedro Bandeira, ou pelo menos já ouviu falar, ou lembra do seu bigode característico. Pois ele é autor infanto-juvenil que marcou essa época. Felicidade a minha. Coleções de livros que levaram jovens a gostar de ler e fazê-lo por prazer. Quando penso em livros para adolescentes penso: Pedro Bandeira.

Então esse cara de bigode foi precursor na arte de atrair jovens para a literatura no Brasil. Sua linguagem de fácil acesso e sua escrita fluente cativam qualquer leitor. 

Mas o que ninguém sabe é a influência de Pedro Bandeira. O autor, que nasceu em 9 de março 1942, disse que na sua infância os livros de autores estrangeiros eram raros. Gostava mesmo era dos brasileiros, então se considerava "o namorado de Narizinho", personagem de Monteiro Lobato.

A apreciação de Pedro por Lobato é porque à época "havia uma literatura de fazer criança ficar boazinha, e a literatura não é para falar para você ser bonzinho, a literatura é para você não ser bonzinho" e Lobato era o único que dizia que desobedecer era importante naquela época. Interessante: a obra mais lida e lembrada de Pedro Bandeira é "A droga da obediência", que teve sua primeira versão em 1984 e depois em 2003 virou "A droga da obediência: A primeira aventura dos karas!" (há pegou o link? ;))

Pois bem, Pedro Bandeira quando criança já utilizava muito de sua imaginação. Brincava sozinho de caubói, amava ficar sob árvores com Narizinho e por aí vai. Crescendo, Pedro Bandeira tornou-se ator e diretor de teatro, professor de literatura, trabalhou como apresentador de televisão, publicitário, escreveu textos para jornais, até chegar a vida de escritor de livros. Suas primeiras obras foram infantis, mas seu auge foi com livros juvenis. É o autor de literatura juvenil mais vendido no Brasil.

Entre os prêmios recebidos por Pedro Bandeira, encontra-se o Prêmio Jabuti, concedido pela Câmara Brasileira do Livro em 1986, pela obra "O fantástico mistério de Feiurinha", como Melhor Livro Infantil.

Uma lição de Pedro Bandeira sobre a leitura: era o meu brinquedo.
"Eu escrevi livros para as crianças sentirem tesão de ler. Literatura é diversão, é gostoso ler. Como é que transformaram o hábito de ler numa coisa chata?" 

Com esse entusiasmo pela leitura e pela escrita, somos obrigados a incentivar nossos jovens a ler e abrir a cabeça para a imaginação e ver na literatura um prazer e não uma obrigação escolar.


Fonte de base: 
http://www.museudapessoa.net/public/editor/memoriasliterarias_8dez2009-final.pdf (p. 148/157)
http://www.pedrobandeira.com.br/conheca-o-pedro/historia.aspx

quarta-feira, 13 de julho de 2016

"Não vale a pena ser crente se:" - Marcelo Pierre

Título: Não vale a pena ser crente se:
Autor: Marcelo Pierre
Páginas:76 (Editora All Print) 
Ano: 2015
Tempo de leitura: 2 dias
Mais informações sobre o livro: no skoob

Um livro que quer mostrar como a visão de ser crente está deturpada. Como o cristão está acomodado ou não possui um relacionamento íntimo com Deus. 

O título do livro é para instigar o leitor, e pode ser compreendido por meio dos títulos dos capítulos, então "não vale a pena ser crente se:"
- se você não sente mais o toque de Jesus
- se você não tem mais a visão de Deus
- se você não toma o caminho oposto ao da maioria
- se sua dieta não é diferenciada
- se os sinais de Deus não te seguem
- se você não deixa de fazer o qualquer um pode fazer, para fazer o que somente você pode fazer
- se não entender que você não pode estar na lista dos homens, mas está na lista de Deus
- se  tem reputação e não caráter
- se você é envolvido e não comprometido
- se o Ide de Jesus não faz parte dos seus planos
- se você não tem uma mentalidade nova
- se sua voz não é profética

Então praticamente resumi o livro de 76 páginas nessas linhas. Mas o livro quer que o crente retome sua posição de servo do Senhor, de cristão de fato e não só de palavra. Ter um relacionamento de busca por Deus, de servir ao próximo, tendo o fruto do Espírito Santo e almejando o céu. 

Comprei o livro na Bienal do Livro 2015 no RJ, porque o autor estaria lá autografando, mas ele não conseguiu ir... pena.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

O álbum - Timothy Lewis

Título: O álbum
Autor: Timothy Lewis
Páginas: 240 (Editora Novo Conceito) 
Ano: 2015
Adaptação em filme: (X) Não 
Tempo de leitura: 1 mês (porque li em ebook no celular)
Mais informações sobre o livro: O álbum

É preciso prestar atenção desde o início da trama, pois se passa em dois tempos. 

No presente temos Adam, negociante de objetos antigos, que encontra um álbum contendo cartões postais escritos por um homem para usa esposa. Separado há algum tempo, Adam ainda acredita no amor verdadeiro, mas sem entender porque se divorciou, vai atrás do segredo desse casal.

No passado, a história do casal dos cartões postais, que começa em 1926. Ele: Gabe; ela: Huck (na verdade esse é seu apelido, o nome é Pearl). Eles se conheceram quando ele trabalhava numa peixaria, ele a atendeu fazendo gracinhas. Ela era sagaz e não deixava barato. Além disso, Huck tinha noivo, considerado o pretendente ideal pela família dela. Apesar dos empecilhos e desencontros, um não tirava o outro da cabeça. Até que um encontro do acaso os reúne: Gabe e Huck, Huck e Gabe.

Bastou uma noite e uma madrugada para que os dois se apaixonassem. Quem não deixa barato agora é o tal noivo. O novo casal decide enfrentar tudo e todos. É apaixonante ver como os dois se relacionam. Sou obrigada a contar que o romance vai longe, cerca de sessenta anos, e desde o casamento deles, toda sexta-feira Gabe escreve um cartão postal com poemas para Huck. Não atrasa nunca. 

É nesse ritmo melodioso que a trama se desenvolve mostrando o relacionamento e dificuldades do casal. Não é o casal perfeito, passa por dramas como qualquer família, mas é um casal que se ama e assim supera tudo da melhor forma. A união deles é linda de se ver (na minha imaginação). 

A diagramação do livro é bela, os poemas escritos por Gabe ganham destaque especial. A capa também me atraiu bastante. 

Destaco que a leitura travou um pouco diante da existência de tantos personagens e em razão das narrações intercaladas no tempo presente e no tempo passado, o que me decepcionou um pouco com o livro, mas quando pega o fio da meada, vai que vai. Eu me arrisco a dizer que poderia ser apenas a história de Gabe e Huck, acho que não sentiria tanta falta de Adam, mas quem sou eu pra meter o bedelho na história alheia certo?!

Têm trechos lindos e românticos como esses: 

Um sorriso de mulher é um presente, Charlie. O presente mais lindo que um homem pode ganhar (p. 25).

Aquela força é a esperança, a base de nossas almas.
A esperança já venceu guerras, erradicou doenças. No espírito humano insaciável, a esperança é o fogo (fl. 218).

E preciso registrar um dos poemas de Gabe para Huck, um dos que mais gostei:
Nesta última sexta do rimar, 
Seu marido nem pode contar
Quantos abraços te daria
Sob mais um céu estrelado.
Mas a vida é curta para amar,
E nos portões do céu vou te esperar,
Pois, sem você, eu jamais seria
E para sempre serei seu amado.
Para sempre.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Depois de você - Jojo Moyes

Título:  Depois de você
Autor: Jojos Moyes
Páginas: (Editora Intrínseca) 
Ano:  2016
Adaptação em filme: (X) Não 
Tempo de leitura: 
Mais informações sobre o livro: 

Esse livro é sequência do badalado livro "Como eu era antes de você". Então se você não quiser spoilers do primeiro livro, pare de ler essa resenha.

Louisa, ou melhor, Lou, como é conhecida, está mais do que triste, ela está em profunda desilusão com a vida depois da partida inesperada de Will. Mesmo ele tendo deixado uma carta com instruções claras de que ela deveria seguir com sua vida, explorar o mundo e seu potencial, Lou se vê entediada depois de um ano e pouco rodando pelo mundo. Ela voltou a trabalhar num subemprego, agora num pub de aeroporto, que não lhe exige pensar mais do que nas opções de café com leite ou sem leite.

Lou arranja um canto que não se pode chamar de lar, e ali passa os dias sobrevivendo. Até que cai do prédio e é atendida pelo socorro (e que socorro!), quando conhece o paramédico Sam. Lou não morre, mas fica toda quebrada e parece que sua vida precisava desse agito para começar a juntar os caquinhos. Ela volta para ficar com a família que exige dela uma mudança de comportamento. Lou começa a frequentar um grupo de enfrentamento ao luto. A partir daí muitas histórias divertidas. Mesmo tendo se despedido de Will, parece que ele não sai da vida além da cabeça de Lou. 

O livro é cheio de tiradas da personagem, continua com um humor engraçado, mesmo vivendo o luto. Pensei que ficaria decepcionada com a continuidade do livro, já que é difícil imaginar Lou sem Will e Will sem Lou. Mas não foi o que aconteceu. O futuro reserva muito mais coisas interessantes para Lou, coisas do passado de Will (#ficaadica sem spoiler). Novamente nos emocionamos com Lou mas não na mesma profundidade de "Como eu era antes de você", ainda assim vale muito ler o livro.

Quase consigo dizer que poderiam ser livros independentes, se não fosse o elo que os liga, Will.Agora que vi o filme "Como eu era antes de você" posso dizer que a história realmente me cativou - excelente adaptação sem muita alteração do livro, diga-se de passagem - e que Lou é uma personagem forte que pode ser protagonista de sua própria história, a história depois de Will, ou melhor, "Depois de você".

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Este mundo tenebroso II - Frank Peretti

Título: Este mundo tenebroso II
Autor: Frank Peretti
Páginas: 564 (Editora Vida) 
Ano: 2007
Adaptação em filme: (X) Não 
Tempo de leitura: 3 semanas
Mais informações sobre o livro: Este mundo tenebroso

Já resenhei o primeiro, para quem quiser saber mais clique aqui
Dizem que é um livro para adolescentes, eu digo que não. É para qualquer idade, mas as cenas descritas são tão fortes que causam espanto em adulto e até em velhinho. Mas ainda assim é um livro de ficção, sobre guerra espiritual, o que acontece no mundo e não vemos. Quando Deus manda seus anjos para nos defender e lutar contra demônios que insistem em nos incutir a maldade.

Esse livro é sobre um grupo que deseja acabar com os valores cristãos, por isso o ataque é sobre uma escola cristã, porquanto impedir que uma escola ensine valores cristãos é impedir que qualquer escola possa fazer isso. Assim, abre-se o caminho para implantação de uma ordem comandada por só um grupo, que coloca o "eu" como centro do mundo.

O diretor da escola cristã, Tom, é o alvo, o que mexe com toda uma igreja. Os demônios da inveja, fofoca, destruição se instalam entre todos. Outra mulher, Sally, foi alvo de ataques do mesmo grupo, mas conseguiu sobreviver e agora tentar impedir o tal grupo de conquistar seu objetivo.

Uma história de intrigas, ligações com interesses escusos, lutas entre anjos e demônios e muita, mas muita oração.Indico!

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Twittando o Amor - Teresa Medeiros

Título:Twittando o Amor
Autor: Teresa Medeiros
Páginas: 202 (Editora Novo Conceito) 
Ano:2014
Adaptação em filme: (X) Não 
Tempo de leitura: 4 dias
Mais informações sobre o livro clique sobre o título: Twittando o Amor

Confesso que me decepcionei com o livro. A capa me atraiu, o conteúdo também, mas o meu resumo do livro é que ele é enfadonho, cansativo de ler. A diagramação do livro foi baseada no Twitter mesmo, então o livro praticamente inteiro é com troca de mensagens entre dois personagens.
Abby precisa escrever seu segundo livro, mas tem um bloqueio de escritora, então parte para o twitter a fim se conectar com seus leitores e talvez encontrar material e inspiração para seu livro. Mas logo de cara ela começa a conversar com Mark. O cara parece tudo de bom. Mas desde o começo já sabemos que o negócio não pode ser tão bom assim, afinal estamos na internet e cada um pode ser quem quiser.

O livro tinha tudo para ser primoroso, só que não seguiu a linha esperada do leitor, ou pelo menos a minha. As inúmeras mensagens trocadas entre os personagens são sempre rápidas, com raciocínio extremamente ligeiro, piadas super criativas, impossíveis de serem elaboradas tão velozmente, mesmo na internet. Mas ok, só que o livro inteiro é de piadas e gracejos entre os personagens, o que cansa. Cansa mesmo, até porque se mostrammm bem repetitivas as piadas.

Se não bastasse a superficiliadade da trama inteira, todo tweet faz menção a atores, séries e filmes americanos que praticamente não conhecemos, o que deixa o leitor brasileiro boiando na história, dá vontade de passar reto quando chegam essas partes... São riscos que se correm quando lemos livros de autores estrangeiros e traduzidos. Mas ok, firme e forte chegamos ao final, onde a história se mostra um pouco mais profunda e penso que poderia ter sido melhor explorada e daria uma linda trama.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

A arte de viajar - Alain de Botton

Título: A arte de viajar
Autor: Alain de Botton
Páginas: 256 (Editora Intrínseca) 
Ano: 2012
Tempo de leitura: um ano (intercalando com outros livros)
Mais informações sobre o livro: A arte de viajar

Muitas considerações sobre o livro. Expectativa antes da leitura: 10. Eu queria descobrir a razão das pessoas viajarem. Li boas críticas sobre o livro. Mas acabei me cansando com a leitura, pois o aprofundamento do autor é tamanho, que foi além dos meus limites.

Mas essa não é a única razão. Para compreender toda a essência do livro é preciso ter grande conhecimento não só de geografia, como também de história e arte. Como assim? Bom, o autor mescla tudo isso para explicar sobre a arte de viajar.

O autor divide os capítulos com os alguns subtemas como arte, literatura, sempre tendo uma pessoa notória que guia a "viagem". Então o leitor precisa acompanhar "a viagem" do autor.

Chego à conclusão de que o livro é bom demais, porque unir viagem, história, geografia, arte e um pouco de filosofia, não é pra qualquer um, mas sei que não é pra mim. Mas é um livro de cultura geral aprofundada.

O primeiro capítulo foi o que mais me interessou e me deu uma das maiores lições de vida. Talvez no meu subconsciente eu já agisse assim, agora tenho certeza do que sinto. Resumindo: a expectativa da viagem é sempre melhor do que a própria viagem. 

Sim, o autor conta um relato onde programou uma viagem com base num cartão postal do lugar. Aquela água límpida, os coqueiros, a rede, lhe transmitiam uma sensação inexplicável e ele queria viver aquilo, chegando no local alguns acontecimentos o deixam irritado que levavam à ideia de que estar em casa era melhor. 

Uma viagem de trem cansativa, mosquitos dando agonia, chuva em terra de sol, coisas do gênero fazem com que a expectativa da viagem terminem em frustração. Isso me lembra a frase de que o caminho é melhor do que destino. Então vamos aproveitar o tempo de preparação e expectativa da viagem. Ok, desviei o foco do livro? Mas foi a parte que mais me interessou. 

A leitura é muito densa, lenta, tem que ter atenção e foco, não é livro pra ler em fila de banco, muito menos antes de dormir com sono. Preciso dizer que a diagramação do livro é interessante, com diversas imagens não dos lugares em si, mas dos artistas que são citados ou das obras-primas dos artistas citados.

Alguns trechos interessantíssimos do livro que me levam a crer que valeu ler até o final.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Viagens de uma psicóloga em crise - Graziela R. Bergamini

Título: Viagens de uma psicóloga em crise
Autor: Graziela R. Bergamini
Páginas:160 (Editora Incentivar) 
Ano: 2013
Adaptação em filme: (X) Não 
Tempo de leitura: 3 dias
Mais informações sobre o livro: Viagens de uma psicóloga em crise

Uma mulher, um sonho de viajar pelo mundo, alguns relatos. Minha expectativa com o livro era altíssima, explico porque: 
1) a capa era linda (ok, eu não deveria julgar um livro pela capa, me quebrei, bem feito); 
2) pelo título, esperava algo tipo "Comer, rezar e amar". Só que foi bem diferente. 

Graziela conta no livro sobre sua viagem pela Índia enquanto era estudante de Psicologia, então o livro foi mais uma "viagem psicológica" e de descoberta pessoal, do que a viagem geográfica e sobre costumes propriamente dita que eu esperava. Eu imaginava uma narrativa romântica pelos lugares que ela viajou, mas foi muito mais sobre as reflexões dela como pessoa durante a viagem, o que me decepcionou, porque além de não ter o tom de narrativa, romance, também não falava muito dos lugares como eu esperava.

Em capítulos curtos a autora fala de suas crises, suas introspecções, seus amores, mas nada que prenda de fato o leitor. Se você não for psicólogo, talvez também não curta muito a leitura. Não há um enredo muito atrativo. Ainda assim, alguns trechos específicos, algumas frase são interessantes.

É rápido de ler, mas não tão agradável quanto prometia ser.


sexta-feira, 22 de abril de 2016

O imensurável amor de Deus

Título: O imensurável amor de Deus
Autor: Floyd McClung Jr
Páginas: 139 (Editora Vida) 
Ano: 2011
Adaptação em filme: (X) Não 
Tempo de leitura: 5 dias
Mais informações sobre o livro: O imensurável amor de Deus

Um livro que fala do amor do Pai. Sobre um Deus que quer um relacionamento conosco.

A obra trata especialmente de cura de feridas para que se possa ter um relacionamento saudável com Deus e com o próximo.

Muitas pessoas tiveram infâncias conturbadas ou decepções com pai e veem em Deus a mesma figura que muitas vezes odiaram. O autor fala que primeiro é preciso dar perdão, restaurar sua vida para assim poder ter uma vida de verdade.

Floyd nos explica o que seria um pai perfeito, aquele que tem autoridade, transmite confiança, valores, afeição, é presente, características que em Deus certamente encontraremos.

Também descreve Deus como um Pai que deseja restabelecer relacionamentos quebrados. Além do perdão entra também a nossa participação em se despojar do orgulho. 

Um ótimo livro para reflexão, aprendizado e transformação. Bem curtinho, tamanho de livro de bolso.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Resultado sorteio: minta que me ama

Quem ganhou o sorteio da semana foi a Dani!!
Minta que ama tem uma capa linda e uma história bem engraçada!
Tomara que goste!
Parabéns, entro em contato por email!!